Engenharia 360

ESCOLHA A ENGENHARIA
DO SEU INTERESSE

Digite sua Busca

Qual a situação atual das ferrovias brasileiras?

por Müller Santos | 11/03/2015
Copiado!

O nosso país carece de ferrovias, e isso não é novidade pra ninguém. Algumas sucateadas, outras simplesmente sem nenhuma utilização se acabando com o tempo. Mas algo tem sida feito para tentar contornar esses problemas e a torcida é grande para que os projetos saiam do papel por completo e entrem de vez nos trilhos. Para entender os projetos é preciso saber um pouco da situação que o sistema ferroviário brasileiro se encontra.
rodovias-brasileiras-blog-da-engenharia

+ Contexto histórico

De acordo com o DNIT a primeira ferrovia brasileira ligava a cidade de Petrópolis a Bahia de Guanabara, também na cidade do Rio de Janeiro em 1854. A estrada de ferro Mauá, em homenagem a seu principal empreendedor como era chamada, ficou ativa durante 30 anos e era a principal ligação do interior do país com seu porto na época. Com o passar do tempo houveram diversas outras de tamanha importância que unia as principais regiões da época como Bahia, Recife e São Paulo por exemplo. Os trechos foram crescendo e em 1950 o governo Federal decidiu unir num único órgão todos os 37.000 km de malha ferroviária, chamado de Rede Ferroviária Federal S.A. Não durou muito tempo e a sua total desestatização ocorreu em 7 de dezembro de 1999 e a R.F.F.S.A é dissolvida paras as seguintes empresas:

Malhas Regionais Data do Leilão Concessionárias Início da Operação Extensão (Km)
Oeste 05.03.1996 Ferrovia Novoeste S.A. 01.07.1996 1.621
Centro-Leste 14.06.1996 Ferrovia Centro-Atlântica S.A. 01.09.1996 7.080
Sudeste 20.09.1996 MRS Logística S.A. 01.12.1996 1.674
Tereza Cristina 22.11.1996 Ferrovia Tereza Cristina S.A. 01.02.1997 164
Nordeste 18.07.1997 Cia. Ferroviária do Nordeste 01.01.1998 4.534
Sul 13.12.1998 Ferrovia Sul-Atlântico S.A. – atualmente – ALL-América Latina Logística S/A 01.03.1997 6.586
Paulista 10.11.1998 Ferrovias Bandeirantes S.A. 01.01.1999 4.236
Total 25.895

Fonte: RFFSA e BNDES.

Figura 01 – Locomotiva da extinta R.F.F.S.A.

Figura – Locomotiva da extinta R.F.F.S.A.

+ Cenário atual

No Brasil, o órgão responsável pela concessão e exploração da infraestrutura ferroviária é a VALEC Engenharia, Construções S.A. Mas ela sozinha não estava sendo capaz de gerir toda a malha que o país possui e mais aquela que necessita. Para isso o governo iniciou um Programa de Investimento em Logística (PIL), a qual tem como função abrir concessões para diversas áreas carentes em infraestrutura que podem abranger portos, rodovias, aeroportos e ferrovias. Interessante também é o projeto de trem de alta velocidade!
Mas como estão e qual a perspectiva de projeto final? Do mapa extraído do site do programa está perfeitamente explicado, mostrando todas as malhas já existentes e a projeção do resultado final.
 

Figura 02 – Ferrovias existentes e as futuras de acordo com PIL

Figura – Ferrovias existentes e as futuras de acordo com PIL


Mas o programa vem enfrentando muitos problemas. Atrasos nas obras e embargos de órgãos públicos fiscalizadores são exemplos frequentes de empreendimentos que envolvem o governo. O que podemos fazer é acompanhar a evolução dos trabalhos e torcer para que o país entre de vez nos trilhos.
 
Referências: antt.gov.brdnit.gov.br

Copiado!

Comentários