Engenharia 360

ESCOLHA A ENGENHARIA
DO SEU INTERESSE

Digite sua Busca

Sistema de refrigeração de ambientes que não requer eletricidade

por Kamila Jessie | 20/09/2019

Engenheiros projetaram um novo sistema de refrigeração que pode ajudar a resfriar edifícios em áreas metropolitanas sem consumir eletricidade. Essa é uma inovação importante em um momento em que as cidades estão trabalhando para se adaptar às mudanças climáticas.

O sistema de refrigeração:         

Desta vez, não estamos falando de telhados verdes! A proposta é outra: o sistema se baseia em um filme polimérico a base de alumínio, instalado dentro de uma caixa na parte inferior de um “abrigo” solar. O filme ajuda a manter o ambiente frio, absorvendo o calor do ar dentro da caixa e transmitindo a energia através da atmosfera para o espaço. Nesse sentido, o sistema serve a um propósito duplo, na medida em que ajuda a bloquear a entrada de luz solar e também irradia radiação térmica emitida do filme para fora.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Esse processo
é chamado de resfriamento passivo ou radiativo, e é muito interessante porque
não consome eletricidade para que ocorra. Uma das inovações do sistema proposto
é a capacidade de, propositadamente, direcionar as emissões térmicas para o “céu”.

O que ocorre
normalmente é que a energia térmica se dissipa em todas as direções, conforme
podemos sentir no calor horroroso da cidade. Mas este grupo de pesquisa encontrou
uma maneira de transmitir as emissões em uma direção específica. Isso permite
que o sistema seja mais eficiente em ambientes urbanos, onde há prédios altos
em todos os lados.

Vale destacar
que, para resfriar um prédio, várias unidades do sistema precisariam ser
instaladas para cobrir um telhado. Isso porque o sistema mede cerca de 46 cm de
altura, por 26 de largura. Contudo, a ideia pode ser integrada com outras
medidas em busca de conforto térmico.

resfriamento de ambientes
Imagem: Nature.

Desafios para
o resfriamento:

O novo
sistema de refrigeração passiva aborda um problema importante no campo: como o resfriamento
por radiação pode funcionar durante o dia e em áreas urbanas.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Ocorre que, durante
a noite, o resfriamento por radiação é relativamente fácil porque não temos
entrada solar, então as emissões térmicas simplesmente desaparecem e percebemos
o resfriamento radiativo facilmente, mas isso é desafiador durante o dia, em
que há bastante sol. Nesta situação, é necessário encontrar estratégias para
evitar que os telhados se aqueçam, além de encontrar materiais emissivos que
não absorvam a energia solar.

conforto térmico
Imagem: Nature.

Os testes:

Quando
colocado fora durante o dia, o filme que emana calor e o abrigo solar ajudaram
a reduzir a temperatura de um espaço pequeno e fechado em um máximo de cerca de
6°C. À noite, esse número subiu para aproximadamente 11°C. É uma diferença e
tanto na temperatura ambiente, sejamos justos!

Imagem: Nature.

O grupo de
pesquisa:

O estudo foi uma colaboração internacional entre a King Abdullah University of Science and Technology (KAUST) na Arábia Saudita, e a State University of New York em Buffalo, o que é mais um lembrete de como grande parte da tecnologia com a qual a gente convive deriva da produção científica realizada em universidades.

Fonte: Nature.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Comentários

Engenharia 360

Kamila Jessie

Doutoranda e mestre em Engenharia Hidráulica e Saneamento pela Universidade de São Paulo, é formada em Engenharia Ambiental e Sanitária.