Engenharia 360

ESCOLHA A ENGENHARIA
DO SEU INTERESSE

Digite sua Busca

Conheça a diferença entre produção empurrada e produção puxada

por Kaíque Moura | 10/10/2016
Copiado!

Com diferentes produtos ao nosso redor, podemos perceber que cada um deles possui suas próprias características, como o número de série, cor, lote, entre outras. Logicamente entendemos que não fabricamos um relógio da mesma maneira que fabricamos um pneu. Cada produto possui uma fabricação específica, podendo ser em pequenas ou enormes quantidades. Com isso, vamos estudar dois dos tipos mais comuns de produção: produção empurrada e produção puxada.

Produção empurrada

Modelo muito utilizado no início da era industrial, onde a qualidade era menos importante do que a quantidade produzida.

Modelo muito utilizado no início da era industrial, onde a qualidade era menos importante do que a quantidade produzida.


É aquela que inicia seu processo antes de um pedido de compra do cliente, ou seja, é a produção mais voltada para estoque. Nos processos internos, é verificado o comportamento do mercado, o histórico de vendas daquele produto e, através do MRP, o pedido de produção interno é enviado ao setor fabril para que seja produzido o lote desejado. Caso o cliente externo necessite de tal produto, a organização já tem ele estocado, pronto para a entrega.
Exemplo desse tipo de produção podemos ver na indústria cervejeira. Cerveja, independentemente do mês do ano, possui uma boa vendabilidade, fazendo-se necessário ter estoque mínimo na fábrica para disponibilizar ao cliente final.
 

Produção puxada

É a produção que não utiliza estoques, sendo o cliente o personagem que “determina” o início da produção. Mesmo estando com a matéria prima pronta para utilização, o start da produção é feito apenas com a demanda do cliente. Exemplos básicos no nosso dia-a-dia são as pizzarias. Elas produzem a partir do momento em que o consumidor realiza o pedido do produto. Ao contrário da produção empurrada, aqui a qualidade é prioridade em relação a quantidade.
 
Abaixo, temos alguns prós e contras de cada tipo:

Produção Puxada Produção Empurrada
Elimina desperdícios Gera custos de estoque elevados
Dinâmica em relação à demanda Estático em relação à demanda
Sistema de controle simples (Kanban) Requer softwares sofisticados (SAP)
Melhor resultado na fabricação de lotes por encomenda Melhor resultado na produção repetitiva

Podemos resumir esses dois tipos de produção na imagem a seguir:

enem-2013-17
 
Saber o tipo de produção é fundamental para o planejamento de uma empresa e para a sustentabilidade de um negócio. Além disso, vale lembrar que há casos em que a fabricação de um produto passa pelos dois tipos de produção em diferentes etapas do processo.
 
Ficou alguma dúvida? Conte aqui nos comentários.

Copiado!
Engenharia 360

Kaíque Moura

Graduando em Engenharia de Produção no Centro Universitário Santo Agostinho (UNIFSA) e Técnico em Mecânica pelo Instituto Federal do Piauí (IFPI).

Comentários