Engenharia 360

ESCOLHA A ENGENHARIA
DO SEU INTERESSE

Digite sua Busca

Pode o engenheiro civil trabalhar com engenharia naval?

por Luciana Reis | 16/02/2016
Copiado!

Antes de prestar o vestibular e decidir a carreira a ser seguida, é comum que os jovens tenham dúvidas sobre as especificidades de cada profissão. E mesmo durante os anos de estudos, já na faculdade, as mesmas dúvidas podem surgir novamente. Na área da Engenharia, por exemplo, podem surgir dúvidas sobre as possibilidades de trabalho conforme o curso de formação. Há carreiras em que as opções são amplas, e muitas vezes, se comunicam entre si. Por exemplo, é possível um profissional formado em Engenharia Civil trabalhar em oportunidades de trabalho voltadas a um engenheiro naval?

engenharia-naval-blog-da-engenharia

Imagem: UFSC



O curso de Engenharia Civil forma profissionais aptos para o trabalho em diferentes postos de trabalho que vão além da construção de edifícios. A projeção e execução de obras de barragens e canais, assim como o planejamento de obras costeiras e em portos são algumas atribuições do profissional formado em Engenharia Civil.
Por sua vez, o profissional formado em Engenharia Naval é o responsável pela construção de embarcações, plataformas, portos, desde a projeção dos equipamentos utilizados até as especificidades das embarcações e estruturas oceânicas.
Para trabalhar em um setor específico, como de gás e petróleo, são procurados profissionais que tenham formação em áreas como Engenharia Civil e Engenharia Naval. Portanto, é possível verificar que há semelhanças entre as duas formações. É evidente que permanecem as especificidades de cada curso, mas há possibilidades de um engenheiro civil trabalhar na área naval com os seus conhecimentos e formação.
engenharia-civil-blog-da-engenharia

Imagem: Jornal Repercussão


Mas um detalhe faz toda a diferença: especialização. O engenheiro naval recebe uma formação mais profunda, desde o plano inicial à concretização de projetos. Uma especialização em Engenharia Naval permite o aprofundamento de uma análise sistêmica por parte do profissional. Com esta especialização é possível abarcar diferentes conhecimentos, as relações entre sistemas e o conceito técnico global, em áreas como o transporte marítimo e a exploração de recursos como o petróleo.
O aquecimento do mercado em determinadas áreas, a situação econômica do país e a expectativa de vivenciar novas experiências faz com que o profissional tenha a necessidade de sempre buscar novos conhecimentos e direcionamentos para a carreira. Com isso, aumenta-se a possibilidade de aproveitar diferentes oportunidades em determinadas áreas. A pós graduação já não é mais a única possibilidade de continuar os estudos e abrir novos horizontes aos profissionais e a qualificação profissional tem sido vista como uma importante ferramenta para a formação dos engenheiros.
Um engenheiro civil, com especialização na área naval é possível, e cada vez mais frequente serão as possibilidades para os profissionais dinâmicos, antenados com as tendências de mercado e cada vez mais preparados.
Referências: Ebah, Guia do Estudante – Engenharia Civil, Guia do Estudante – Engenharia Naval, Promimp, G1
 

Copiado!

Comentários