Engenharia 360

ESCOLHA A ENGENHARIA
DO SEU INTERESSE

Digite sua Busca

Navio encalhado no canal de Suez pode impactar economia global

por Redação 360 | 26/03/2021

A esperança é de que a embarcação seja desencalhada no próximo sábado (27) ou domingo (28)

Sendo uma das mais importantes vias marítimas do mundo, o Canal de Suez foi bloqueado na última terça (23) pelo navio Ever Given. A principal rota de comércio entre Ásia e Europa está parada desde então, gerando um verdadeiro engarrafamento de navios.

O meganavio foi construído em 2018, mede cerca de 400 metros de comprimento e 59 metros de largura. Ou seja, é quase um Empire State Building na posição horizontal. Além disso, seu peso chega a cerca de 220 mil toneladas.

Ever Given encalhado no Canal de Suez, no Egito, nesta quinta-feira (25)
NImagem de satélite do Cnes2021 — Foto: Cnes2021, Distribuição Airbus DS via AP

Para desobstruir a via, a SCA (Autoridade do Canal de Suez) está tentando escavar a área onde a proa do navio ficou presa. Assim, com a ajuda de navios rebocadores, a ideia é fazer com que o Ever Given volte a flutuar assim que possível.

Alugado pela taiwanesa Evergreen Marine Corp, o cargueiro vinha da China rumo a Rotterdam, Holanda. Para a dragagem do veículo, foram acionadas equipes de resgate da Smit Salvage (Holanda) e da Nippon Salvage (Japão), para trabalhar junto à SCA.

Resgate pode demorar mais tempo do que contornar o continente africano

Segundo Peter Berdowski, CEO da empresa Boskalis, que também está ajudando na operação, “não é realmente possível soltá-lo”. Sendo assim, pode ser que seja preciso descarregar a embarcação, processo que pode levar algumas semanas. Ele explica:

“Não podemos excluir que pode levar semanas, dependendo da situação. (…) É como uma enorme baleia encalhada. É um peso enorme na areia. (…) Temos que trabalhar com uma combinação de redução do peso — removendo contêineres, óleo e água do navio —, rebocadores e dragagem de areia”.

Peter Berdowski, CEO da Boskalis

Niels Madsen, vice-presidente de produtos e operações da consultoria dinamarquesa Sea-Intelligence, disse esta semana à Reuters que, se o engarrafamento persistir, “isso começará a ter ramificações globais muito sérias”.

Operação de dragagem para a retirada do navio.
Foto: Autoridade do Canal de Suez/Reuters

Com efeito, estima-se que o incidente já causa prejuízos de mais de 9 bilhões de dólares em mercadorias. Nesta sexta-feira, sete navios que transportam gás natural liquefeito (GNL) já foram desviados para a rota em torno do continente africano, via Cabo da Boa Esperança.

Congestionamento pode gerar impacto global

Sendo uma verdadeira artéria para o a circulação da economia global, o Canal de Suez foi inaugurado em 1869. Seu funcionamento é fundamental para a circulação de mercadorias de todo o tipo entre a Europa, Ásia e Oriente Médio. Isto é, o impacto do incidente com o Ever Given se dá mais pelo atraso de todos os navios da fila, do que dele em si. Ian Woods, advogado de comércio marítimo da firma londrina Clyde & Co, afirma em entrevista à NBC:

“São milhões de dólares em commodities nos outros navios e, se o canal não for desobstruído rapidamente, eles buscarão outras rotas, o que significa mais tempo, mais combustível e mais custos que podem ser repassados ​​aos consumidores”.

Ian Woods, da Clyde & Co

Gerando uma grande apreensão, a esperança era de que a embarcação fosse desencalhada no sábado (27) ou domingo (28). Segundo especialistas, se até lá o problema ainda não fosse resolvido, as consequências econômicas só tendem a se agravar.

Atualização: a embarcação foi desencalhada no dia 29 de Março (segunda), após ficar 6 dias encalhada.

Fontes: Interesting Engineering; G1; Tecmundo; O GLOBO.

Você tem acompanhado o desenrolar dessa história? O que está achando? Conta para a gente nos comentários!

Engenharia 360

Redação 360

Engenharia para todos.

Comentários