Engenharia 360

ESCOLHA A ENGENHARIA
DO SEU INTERESSE

Digite sua Busca

Como o Brasil distribui os R$4,5 bilhões destinados para pesquisas científicas?

Engenharia 360

03/10/2012

POR Eduardo Mikail 03/10/2012

  • 5 bilhões destinados para pesquisas científicas?
  • blog da engenharia
  • Blog de Engenharia
  • Blog Engenharia
  • Ciência
  • Como o Brasil distribui os R$4
  • dicas de engenharia
  • Dicas do curso de Engenharia
  • Engenharia no Brasil
  • Estudantes de Engenharia
  • Pesquisa e Desenvolvimento
  • site da engenharia
  • site de engenharia
  • Site Engenharia
  • tecnologia

OK — temos o dinheiro, as pessoas e um monte de espaço para testar as mais variadas inovações. Pesquisamos robôs jogadores de futebol, ratos transgênicos e até mesmo algumas comidas doidas e embalagens biodegradáveis. Mas como esse dinheiro é distribuído em um país com mais de 8,5 milhões de quilômetros quadrados? De forma bem, mas bem concentrada.
Com os R$4,5 bilhões investidos em Pesquisa e Desenvolvimento no Brasil em 2010, o país poderia ter feito muito mais. Como podemos ver neste gráfico abaixo, o Estado de São Paulo recebe praticamente todo o investimento em pesquisa no Brasil. 86%, segundo os Indicadores Nacionais de Ciência e Tecnologia, do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), para ser mais preciso. Os dados foram divulgados na Revista Pesquisa Fapesp. Somente em São Paulo, R$3,9 bilhões foram investidos em pesquisa por empresas e pelo governo. Um número alto, excelente para os professores e alunos das universidades paulistas, mas ruim para quem não está na região sudeste.


Esta distribuição desigual de capital para Pesquisa e Desenvolvimento leva muitos alunos a saírem de suas cidades para morarem próximos às universidades, geralmente localizadas em polos industriais e metrópoles. Este “intercâmbio estudantil” é interessante, mas também serve como indicativo de que algo está errado.
Mas por que todo este dinheiro é investido em um lugar só? “São Paulo é um estado que investe muito em ciência e tecnologia quando comparado com o restante do país”, explica Marco Antonio Zago, pró-reitor de Pesquisa da Universidade de São Paulo (USP). “Isso é resultado de uma política de estado que teve início há muito tempo, e não da estratégia de um governador”, afirma. Imaginem só, quase 10% do ICMS arrecadado em São Paulo é destinado para as três universidades estaduais. Este dinheiro é dividido proporcionalmente, de acordo com o tamanho, entre a Universidade Estadual Paulista (Unesp), Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e Universidade de São Paulo (USP).
E agora você começa a se perguntar — qual o problema das outras universidades brasileiras? Por que ninguém investe nelas? A resposta vem de forma inversa: segundo a pró-reitora de Pesquisa da Unesp, Maria José Giannini, a vantagem do alto investimento localizado no sudeste seria a garantia de continuidade dos projetos: “Evidentemente há muitos pesquisadores altamente competentes em universidades federais, mas é comum que o trabalho deles seja impactado pelo contingenciamento de verbas para a pesquisa. Nas universidades estaduais paulistas nós temos amplas condições de estimular os pesquisadores a apresentarem projetos e buscarem recursos, pois a FAPESP sempre prestigia quem tem mérito”.

Mas nem tudo está (tão) ruim assim. Muitos estados têm ampliado seus investimentos em ciência e tecnologia. Um exemplo disto é o Rio de Janeiro, que ampliou para 2% a fatia da arrecadação de impostos destinados para o orçamento da Fundação Estadual de Amparo à Pesquisa, a Faperj. Boa parte deste dinheiro é investida em projetos das universidades federais. Menos mal, não?
Saindo um pouco do eixo Rio-São Paulo, dá para destacar o crescimento no investimento que muitas universidades têm recebido. Minas Gerais investiu 10,2 milhões nos setores de pesquisa e desenvolvimento da Universidade Estadual de Minas Gerais (UEMG) e da Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes). Parece pouco, mas foi 3 vezes mais do que as mesmas universidades haviam recebido em 2007.
Este aumento não é exclusividade da Região Sudeste: a iniciativa privada e o governo têm investido bastante em pesquisa. Desde 2007, o cenário da pesquisa no Brasil tem melhorado, com mais investimentos. R$4,5 bilhões entram todos os anos para apoiar a pesquisa. Será que, se o governo conseguisse distribuir melhor a verba para pesquisa, teríamos mais inovações? Mais comidas malucas, ratos transgênicos e robôs jogadores de futebol? [Revista Pesquisa Fapesp; foto via Redcom/Flickr]

Via Gizmodo

5 bilhões destinados para pesquisas científicas?
blog da engenharia
Blog de Engenharia
Blog Engenharia
Ciência
Como o Brasil distribui os R$4
dicas de engenharia
Dicas do curso de Engenharia
Engenharia no Brasil
Estudantes de Engenharia
Pesquisa e Desenvolvimento
site da engenharia
site de engenharia
Site Engenharia
tecnologia

Eduardo Mikail

Engenheiro Civil, empresário e empreendedor digital, é sócio-fundador da Digital Bronks, grupo de plataformas digitais que assina os principais canais de engenharia e arquitetura do país: Engenharia 360, Blog da Engenharia, Engenharia Depressão, Blog da Arquitetura e A Arquiteta. Formado em Engenharia Civil e Administração com especialização em Marketing pela ESPM, já trabalhou em uma das maiores construtoras do país e hoje está à frente da Mikail Arquitetura e Engenharia. Interessado por tecnologia, iGadgets e nas horas vagas curte viagens, música e fotografia. Segue lá no Instagram @eduardomikail

mais
Engenharia 360 Engenharia 360

VEJA TAMBÉM

20 Resultados
6 motivos para você conhecer o SOLIDWORKS World 2019
6 coisas que estudantes de engenharia podem fazer para aproveitar as férias
Lista de aplicativos para engenharia de Dezembro! Confira!
Telescópio com espelho de 39 metros de diâmetro está em construção no Chile
10 árvores de Natal feitas (certamente) por engenheiros(as)
7 filmes (não natalinos) para ver na Netflix no final de ano
7 coisas que engenheiros/estudantes de engenharia passam no Natal em família
O projeto de Pontes em Concreto
HP50G x TI NSpire - Quais as principais diferenças dessas duas calculadoras para engenharia?
BDE Explica: O que é cota de arrasamento?
Bioengenharia: conheça o rim artificial que promete substituir a hemodiálise
Startup fundada por brasileiro cria nanosatélite que promete soluções para a agricultura
Terminei a faculdade, e agora?
BDE Review: Scanner Portátil EPSON ES-300W para engenheiros
Como a Samsung DeX e o Galaxy S9 mudaram completamente o dia a dia de um engenheiro
Brasil perde R$56 bilhões por ano por falta de investimento em saneamento
Testamos o novo Motorola One. Confira nossa opinião!
Aplicativos para Engenharia: Confira nossa lista de Novembro!
Testamos a nova e incrível Xiaomi Mi Band 3, a pulseira inteligente chinesa
Descubra como usar a HP para o cálculo de vigas com o VigaG

Podcast 360
Ouça ou baixe podcasts
exclusivos da engenharia
Ver Todos

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ

20 Resultados
Titulo do Post
Titulo do Post
Titulo do Post
Titulo do Post
Titulo do Post
Titulo do Post
Escolha a engenharia do seu interesse